Mãezinhas
  •  

    Barrigudinhas

  •  

    Mãezinhas

  •  

    Pequenos

  •  

    Dicas

  •  

    Família

  •  

    Festas

    • 2

      Barrigudinhas

      Mitos e verdades sobre a gestação

      14/03/2016 POR Bruna Brenneisen

      Durante os 9 meses em que uma mulher carrega um bebê em seu ventre, ouve muitos, mas muitos conselhos. São tantas dicas, orientações e curiosidades ouvidas que por vezes não sabemos no que acreditar. Separamos 5 mitos e 5 verdades sobre a gestação que estão entre os assuntos mais ouvidos e que, como gestantes, nos deixam com uma pulga atrás da orelha. Vejamos:

      Mitos: 

      1. "Se a gestante tem muita azia, certamente o bebê nascerá cabeludo!"

      Uma coisa não tem nenhuma relação com a outra. A nutricionista Tatiana Zanin do portal Tua Saúde, afirma que a azia está relacionadas a dois motivos, como a progesterona que afeta o sistema digestivo e a compressão do estômado devido ao crescimento do bebê.

      2. "Grávida precisa comer por dois!"

      A orientação dos médicos para as mamães é que comam de forma nutritiva e variada, mas não há necessidade de dobrar a quantidade de comida ingerida. Isso só fará aumentar o peso da gestante, tornando mais difícil o processo de retorno ao seu peso inicial, após o parto.

      3. "Uma vez que você faz cesária, somente poderá fazer outras cesárias no futuro."

      Segundo o portal Baby Center Brasil, pesquisas recentes indicam que a realização de um parto vaginal após uma cesárea é mais segura do que se imaginava. Um dos principais motivos para não tentar o parto normal depois de cesariana seria o risco de haver uma ruptura uterina, mas estudos mostram que esse risco não ultrapassa 0,8 por cento. A ruptura uterina ocorre quando a cicatriz no útero de uma primeira cesariana se rompe, geralmente durante o trabalho de parto, o que pode ser extremamente perigoso para a mãe e para o bebê. Mas casos assim são muito raros.

      4. "Se sua barriga está com o formato muito arredondado seu bebê é menina, se é mais pontuda é menino".

      Não existe nenhuma influência do sexo do bebê no formato da barriga. “A barriga da mãe cresce conforme anatomia e genética da gestante, sem nenhuma influência do sexo do feto”, afirma o ginecologista e obstetra Dr. Guilherme Fernandes, da SOGESP (Associação de Obstetrícia e  Ginecologia de São Paulo).

      5. "Ingerir cerveja preta aumenta a produção de leite da mulher."

      Não existem evidências científicas que comprovem que o consumo de determinado alimento ou bebida aumente a produção de leite. De acordo com Dolores Fernandez, médica e especialista em aleitamento materno, o consumo de cerveja e de qualquer outra bebida alcoólica pode, na verdade, prejudicar a amamentação. 

      Verdades:

      1. "O pé da gestante pode crescer até uma numeração."

      Já existem estudos que comprovam que a gravidez pode alterar permanentemente o tamanho dos pés das gestantes, tornando-os mais cumpridos e mais largos.

      2. "Depois que o bebê nascer a mamãe continuará sentindo pequenas contrações."

      De acordo com o portal einstein.com.br: "Nos três primeiros dias depois do nascimento, as contrações uterinas provocam cólicas abdominais, principalmente ao amamentar. Isso é resultado da liberação de um hormônio chamado oxitocina, que entre outras funções, estimula a contração do útero para diminuir o sangramento do puerpério.".

      3. "É preciso aumentar a ingestão de líquidos para uma maior produção de leite materno."

      Especialistas indicam evitar apenas bebidas como cafés, refrigerantes e bebidas industrializadas. As demais são muito benéficas para a produção de leite.

      4. "Muitos papais também sentem alguns sintomas das gestantes."

      Essa afirmação foi feita cienificamente já em 1960 pelo psiquiatra britânico Trethowan. Essa síndrome leva o nome de Síndrome de Couvage ou Síndrome do Homem Grávido, não acontece com todos os papais gestantes, mas está predisposta a ocorrer com papais de desejam muito o bebê e se envolvem demais com a gestação da parceira, que tem um conjunto de alterações psicológicas que acabam se refletindo fisicamnte.

      5. "Ficar sem se alimentar aumenta o enjoo."

      De acordo com especialistas, ficar sem comer por muito tempo pode sim aumentar o enjoo e mal-estar. É importante que a gestante se alimente de maneira frequente, com refeições leves e com pouca gordura.

      Muito provavelmente você já deve ter ouvido a maioria dessas frases. Vale ressaltar que é sempre bom ter o sensor de desconfiômetro ligado, e buscar comprovar as informações. A melhor maneira pra sanar as dúvidas, é conversar sempre com seu médico, ele é a pessoa ideal para passar as informações que você precisa de forma segura. 

      Crédito foto: Shutterstock

      Mitos e verdades sobre a gestação

      A mãezinha

      Bruna Brenneisen

      Publicitária, 23 anos, mãe da Clarinha e do Francisco, e idealizadora do projeto Mãezinhas.com

    Comente com o facebook
  •  
  •  
  •  
  • Bruna Brenneisen
     
     
    Encontro Mãezinhas 2017 - Com Super Nanny
     
     

    MAIS LIDAS

    FOLLOW @BLOGMAEZINHAS
       
    https://api.instagram.com/v1/users/2234105776/media/recent/?access_token=2234105776.1677ed0.2dda7fa43df54a1193afd8bf7127e7c7&count=12
  • Sabe aquele tipo de casal que você fala: “-Mano, eu boto muita fé neles!”!? É esse casal da foto que casou ontem. Costumo dizer que pra um casamento ser pra sempre nos dias atuais, com tantas possibilidades de desistir pelo caminho sendo cada vez mais facilmente oferecidas, somente é possível tendo Deus no meio, porque daí o casamento passa a ser vivido em sua totalidade. Sabemos que nos casamos não só com a figura do no nosso companheiro (a), é um laço com Deus, e é eterno. Esse casal aqui tem Deus no meio, início e final. Inspiram espera, renúncia, persistência e alegria pra viverem tudo isso! Carol, Mú, vocês costumam falar que somos inspiração pra vocês, preciso dizer aqui que vocês nem sabe o quanto também são inspiração pra gente, daquele tipo que faz pensar: “-Tomara que meus filhos sejam como eles!” Parabéns por ontem e por toda história de vocês. Estaremos aqui pro que der e vier! Amo vocês! ❤️ #ogrinhosday
  • Só eu que tenho vontade de esmagar demais!?
  • Dia de sentir Deus em todos os lugares. Até brincando aos sons dos passarinhos! ❤️
  • Aqui está o meu coração! ❤️ #família
  • O Rio de Janeiro continua lindo [...]
  • Alguém falou “diversão!?”
  • Mais uma viagem deliciosa começou. Dias pra ficar pertinho, colado, praticamente grudado, porque se essa não é a parte mais deliciosa de uma viagem em família, eu não sei qual é! ❤️ #família #amormaior
  • 5 anos atrás iniciava um novo ciclo que escreveria toda a história da minha vida dali em diante. 
Como diz a poeta: “Tú é o ser mais bonito que eu tive a sorte de conhecer!” Te amo @soudarlan ❤️
  • Inspirados e revigorados para dar e ser o melhor que pudermos naquilo que amamos. Trabalhar pra nós é uma missão, uma forma de ser feliz, fazer pessoas felizes e um mundo melhor. (Fotos RD 2018 e RD 2017) ❤️
  • Minha mocinha! ❤️ Minha parte!
  • Meu mocinho! ❤️ Minha parte!
  • Parece que foi ontem mesmo que eu pedia incessantemente a minha mãe, que me deixasse dormir na casa da minha prima Táta. Eram os dias mais esperados da minha infância! Alguns aninhos mais tarde chegou a hora das nossas filhas fazerem a mesma coisa. Emocionada estou, apenas isso. ❤️
Duas Clarinhas lindas que mais parecem irmãs do que primas! 😝
  • Bruna

    Brenneisen

    QUEM É ELA?

    Publicitária, 24 anos, mãe da Clarinha e do Francisco.

    É casada com Darlan, um papai designer e empreendedor muito dedicado, que não poupou esforços para dar vida a este grande projeto, chamado mãezinhas. Apaixonada pelas palavras escritas, criou o blog para compartilhar das experiências maternas com outras futuras e atuais mamães. Seu maior sonho sempre foi ser mãe, e torná-lo real dia após dia, torna-se uma grande e maravilhosa aventura da vida real, encarada corajosamente por tantas e tantas mulheres pelo mundo a fora.

  •  
  •  
  •  
  •  
    Copyright © 2018. Mãezinhas Todos os direitos reservados.
    Mãezinhas