Mãezinhas
  •  

    Barrigudinhas

  •  

    Mãezinhas

  •  

    Pequenos

  •  

    Dicas

  •  

    Família

  •  

    Festas

    • 0

      Família

      A sintonia entre a Clara e o irmãozinho ainda na barriga

      11/07/2016 POR Bruna Brenneisen

      Se tem uma coisa que tem sido motivo de muita admiração nesta gravidez é o relacionamento da Clara com seu irmãozinho, Francisco.

      Quando um casal engravida do primeiro filho, todos os pensamentos se voltam para ele. O tempo inteiro imaginamos coisas relacionadas a ele e passamos a respirar essa novidade. É intrínseco. Agora quando se engravida do segundo filho, as atenções não são exclusivas desse novo ser que está sendo gerado, isso é claro, nenhum pai e nenhuma mãe iria deixar o filho mais velho de lado, mas o que pais de 1 filho só não imaginam é o quanto nos preocupamos em como essa novidade da chegada de um novo membro à familia pode repercurtir na vida do filho mais velho, principalemente quando a diferença de idade entre eles não é de muitos anos.

      Quando descobrimos que estávamos grávidos novamente, Clarinha tinha exatos 1 ano e 1 mês, ficamos imensamente felizes com isso, mas instantaneamente, pensamos na Clara: Como seria sua reação? Tão pequena? Acostumada a ser o bebezinho da casa, afinal ainda era de fato. Bem, o Francisco ainda não nasceu pra sabermos exatamente como essa relação acontecerá, mas posso afirmar que pelo menos a fase da gestação tem surpreendido (muito) a mim e ao meu esposo.

      Conversamos muito com ela sobre o irmãozinho, mas até que ponto um bebê de 1 ano e alguns meses entende sobre uma gravidez? O que ela compreende por "ter um bebê dentro da barriga da mamãe!". Uma pessoa dentro de outra pessoa? Como assim? Tento me colocar (fracassadamente) no lugar dela, e isso me parece a coisa mais absurda do mundo, sem sentido nenhum.

      Compartilho isso com vocês porque além de ser um tema que me faz refletir muito, recebo muitas perguntas de pessoas queridas, que se preucupam e tem curiosidade de saber mais sobre essa relação dela com o irmão.

      Pois bem, não trago grandes respostas ou soluções, meses de gestação se passaram, o momento da chegada do parto se aproximada e eu ainda não sei, tampouco saberei o que realmente passa pela cabeça da minha filha. Entretanto, consigo tirar algumas conclusões a partir de suas atitudes durante esse tempo. E que atitudes mais fofas ela tem tido a cada novo dia. Desde que minha barriga ainda nem estava grande, já falávamos sobre o "neném" e ela apesar de bem pequenina sempre prestou bastante atenção. Acredito que apesar da complexividade dos fatos, os bebês são mais inteligentes do que conseguimos mensurar.

      Toda noite quando rezamos a Deus e pedimos que Papai do Céu abençoe as pessoas a quem amamos, ela cita sozinha nome por nome e nunca se esquece do Francisco, ou melhor: "Pantisco" como diz, na tentativa de acertar o nome do irmão. Ainda a noite, ela me ajuda a passar óleos e hidratantes na barriga e fica carinhosamente fazendo massagens com as suas pequeninas mãos cheias de creme, claro que pra ela isso parece ser uma diversão muito grande, mas noto o quanto faz com carinho também. Muitas vezes, principalmente agora que minha barriga está bem grande, ela olha pra barriga e sem eu pedir ou dizer nada, pede pra dar um beijo. Quando eu digo que logo o mano vai sair da barriga da mamãe ela já completa: "- E vai mamar...", apontando para o meu peito.

      Um episódio de Peppa Pig chama muito a nossa atenção, quando uma personagem, a Mamãe Coelho aparece grávida e a Peppa sente o chute do bebê com as mãos. Ela pode assistir esse episódios 1000 vezes, que as 1000 ela virá correndo me chamar e apontar pra minha barriga falando algo do tipo "- Igual mamãe!". Ela ama sentir o Francisco chutando, mas muitas vezes por mais forte que ele chute ela não identifica, então ela pede: "- Acorda Pantisco!" e eu acabo dando uma ajudinha com a barriga só pra ver ela feliz abrindo um sorriso de meio metro.

      Agora que estamos na etapa de fazer o quarto do irmãzinho, ela adora ajudar como pode na construção do mesmo, e repete o tempo todo (de forma bem erradinha) que aquele é o quarto do Francisco, que está na barriga da mamãe. Cuidamos ao máximo pra que ela possa se sentir amada e parte fundamental dessa nova etapa. Por isso, fazemos questão que ela participe, ajude a pintar o quarto, colocar os móveis e decorá-lo. É visível sua felicidade em ajudar! Mas ao mesmo tempo nos preocupamos em também evidenciar o quanto ela é amada, damos carinho, mostramos o quartinho dela e suas coisinhas e fazemos pequenas alterações nele, pra que ela não pense que agora todas as atenções estão voltadas só pro irmão.

      Temos percebido que ela gosta bastante de ser chamada de bebê, quando coloco ela no meu colo e canto uma canção de ninar por brincadeira, como se ela fosse um nenénzinho bem pequeno, ela fica toda "boba", e de vez em quando coloca o bico das bonecas dela na boca e vem me mostrar, ou entra no pequeno bebê conforto que era dela e agora será do irmão e colocamos em um cantinho da casa. Ela fica muito feliz quando chamamos de 'meu nenénzinho', é bastante engraçado, e não sei até que ponto isso tem relação com a chegada do irmão, mas fatos como este tem chamado nossa atenção.

      Enfim, no começo da gravidez cheguei a sofrer bastante com medo que ela pudesse se sentir mal com toda a situação, mas a gestação já está na reta final e até o momento só tive boas situações. Não espero também que ela não reaja de forma diferente em alguns momentos, depois que o Chico nascer. Estava inclusive lendo num livro da psicopedagoga Beth Montheiro, sobre o quanto é natural que a criança não fique apenas amando, acarinhando e fofando o novo irmão assim que ele chega a família. É fato que ela sentirá algo e não podemos nem ficar tristes ou bravos que em alguns momentos ela "não goste tanto assim do irmãozinho". Tudo isso faz e fará parte da aceitação dela, e não interferirá de fato no amor e cumplicidade que construirá com o irmão ao londo da vida. Muitas são as histórias de pequenas atitudes ciumentas entre irmãos, que não chegam a impactar o relacionamento familiar de forma negativa. O importante é dar a ambos o devido amor e atenção que merecem, e isso certamente daremos muito aos dois.

       

      Clarinha ajudando a organização do quartinho do Francisco.

      p.s: quem for mãe e pai de filhos com idades próximas pode deixar alguma dica que eu vou amar ler!

      Um abraço fraterno e até a próxima!

      A sintonia entre a Clara e o irmãozinho ainda na barriga

      A mãezinha

      Bruna Brenneisen

      Publicitária, 23 anos, mãe da Clarinha e do Francisco, e idealizadora do projeto Mãezinhas.com

    Comente com o facebook
  •  
  •  
  •  
  • Bruna Brenneisen
     
     
    Encontro Mãezinhas 2017 - Com Super Nanny
     
     

    MAIS LIDAS

    FOLLOW @BLOGMAEZINHAS
       
    https://api.instagram.com/v1/users/2234105776/media/recent/?access_token=2234105776.1677ed0.2dda7fa43df54a1193afd8bf7127e7c7&count=12
  • Sabe aquele tipo de casal que você fala: “-Mano, eu boto muita fé neles!”!? É esse casal da foto que casou ontem. Costumo dizer que pra um casamento ser pra sempre nos dias atuais, com tantas possibilidades de desistir pelo caminho sendo cada vez mais facilmente oferecidas, somente é possível tendo Deus no meio, porque daí o casamento passa a ser vivido em sua totalidade. Sabemos que nos casamos não só com a figura do no nosso companheiro (a), é um laço com Deus, e é eterno. Esse casal aqui tem Deus no meio, início e final. Inspiram espera, renúncia, persistência e alegria pra viverem tudo isso! Carol, Mú, vocês costumam falar que somos inspiração pra vocês, preciso dizer aqui que vocês nem sabe o quanto também são inspiração pra gente, daquele tipo que faz pensar: “-Tomara que meus filhos sejam como eles!” Parabéns por ontem e por toda história de vocês. Estaremos aqui pro que der e vier! Amo vocês! ❤️ #ogrinhosday
  • Só eu que tenho vontade de esmagar demais!?
  • Dia de sentir Deus em todos os lugares. Até brincando aos sons dos passarinhos! ❤️
  • Aqui está o meu coração! ❤️ #família
  • O Rio de Janeiro continua lindo [...]
  • Alguém falou “diversão!?”
  • Mais uma viagem deliciosa começou. Dias pra ficar pertinho, colado, praticamente grudado, porque se essa não é a parte mais deliciosa de uma viagem em família, eu não sei qual é! ❤️ #família #amormaior
  • 5 anos atrás iniciava um novo ciclo que escreveria toda a história da minha vida dali em diante. 
Como diz a poeta: “Tú é o ser mais bonito que eu tive a sorte de conhecer!” Te amo @soudarlan ❤️
  • Inspirados e revigorados para dar e ser o melhor que pudermos naquilo que amamos. Trabalhar pra nós é uma missão, uma forma de ser feliz, fazer pessoas felizes e um mundo melhor. (Fotos RD 2018 e RD 2017) ❤️
  • Minha mocinha! ❤️ Minha parte!
  • Meu mocinho! ❤️ Minha parte!
  • Parece que foi ontem mesmo que eu pedia incessantemente a minha mãe, que me deixasse dormir na casa da minha prima Táta. Eram os dias mais esperados da minha infância! Alguns aninhos mais tarde chegou a hora das nossas filhas fazerem a mesma coisa. Emocionada estou, apenas isso. ❤️
Duas Clarinhas lindas que mais parecem irmãs do que primas! 😝
  • Bruna

    Brenneisen

    QUEM É ELA?

    Publicitária, 24 anos, mãe da Clarinha e do Francisco.

    É casada com Darlan, um papai designer e empreendedor muito dedicado, que não poupou esforços para dar vida a este grande projeto, chamado mãezinhas. Apaixonada pelas palavras escritas, criou o blog para compartilhar das experiências maternas com outras futuras e atuais mamães. Seu maior sonho sempre foi ser mãe, e torná-lo real dia após dia, torna-se uma grande e maravilhosa aventura da vida real, encarada corajosamente por tantas e tantas mulheres pelo mundo a fora.

  •  
  •  
  •  
  •  
    Copyright © 2018. Mãezinhas Todos os direitos reservados.
    Mãezinhas